Patrão de si mesmo

809750

 

 

 

Na coluna da semana passada falei que para gerar empregos os empreendedores precisam de menos burocracia, menos impostos, mais flexibilidade nas leis trabalhistas, mais concorrência de livre mercado e um sistema melhor de educação.

Tem gente ainda que visualiza o patrão como aquele cidadão vestido de fraque e cartola açoitando com chicote os seus funcionários, como se fossem escravos.

Você sabia que no Brasil já são mais de 40 milhões de patrões de si mesmo, são milhares de brasileiros que trabalham por conta própria em aplicativos, vendas de porta em porta, são os chamados empreendedores por necessidade. Devemos todo o respeito pois eles estão movendo, movimentando a nossa economia.

Mas olha só. Oito milhões de brasileiros já estão formalizados e abriram uma MEI (Microempreendedor Individual), onde ele paga R$ 50,00 por mês tira nota do seu serviço, tem cobertura dos benefícios do INSS como auxílio doença, aposentadoria por invalidez. Das esperadas duas milhões de vagas a serem abertas este ano, um milhão dos empregos serão criados por empregadores, trabalhadores por conta própria, microempresário, esses são os novos patrões e que alguns ainda tentam colocar como exploradores do capital.

Temos um grande exemplo, o Pedro, que dentro de alguns dias será mais um patrão de si mesmo, vai abrir uma MEI para prestar serviço para o Grupo MM.

Pedro é deficiente visual e irá trabalhar no sistema home office. Hoje a lei trabalhista permite a pessoa trabalhar em casa como MEI. O Pedro será o mais novo contrato do MM através dessa nova lei trabalhista, que nos permite trabalhar em casa. Ele irá desenvolver um trabalho de call center.

A inclusão social isso é muito importante na geração de emprego para nossos jovens do 1º emprego, que tem muita vontade, dinamismo e com certeza vai ajudar muita gente.

Não podemos mais ficar vinculado a CLT, com uma economia crescendo é provável que mais pessoas passem a apostar nesse empreendedorismo como o Pedro, que gera garantias e sucesso a toda a nossa gente.

Vamos em frente!

809750