Reposição da inflação aos servidores públicos estaduais? De forma técnica é possível sim!

rep-salarial

Este talvez seja o momento mais tenso desde a posse do governador Ratinho pois está se debatendo a reposição da data base dos servidores, entre eles policiais civis, militares, professores.
Concordo que o governo não pode ultrapassar o limite prudencial, que está tendo ações de redução de despesas públicas e que está aberto ao diálogo e ele tem razão em dizer de que um governador precisa cuidar do equilíbrio e da saúde fiscal do estado.

Mas também é importante relembrar um fato que aconteceu há 04 anos atrás e que eu participei ativamente pois era deputado na época: lembro muito bem do pacotaço no início do governo Beto Richa onde fui categoricamente contra, e que inclusive me colocou na oposição daquele governo na época por votar contra a retirada dos depósitos do Paraná Previdência, e que inclusive este tratoraço do governo que não cedeu nem um milímetro acabou culminando no fatídico 29 abril de 2015 que foi chamado de “Batalha do Centro Cívico”.

Para você ter uma ideia, desde 2015 são retirados mais de 145 milhões de reais todos os meses de mais de 118 mil aposentadorias de ex-servidores estaduais e pensões a dependentes deles, hoje 33,5 mil servidores com idade acima de 73 anos à época.

Como esses inativos eram pagos pelo tesouro estadual, o governo deixou de aportar na previdência os valores correspondentes a esses funcionários a partir de então. Fazendo uma conta rápida, passados 56 meses já foi retirando mais de R$ 8 bilhões desta conta que pertence aos servidores do estado…e o resultado disso é que o caixa da Paraná Previdência vem sendo descapitalizado de forma constante e ininterrupta.
Portanto no meu entender, se as empresas privadas, mesmo na maior crise econômica, repõem os salários de seus colaboradores através dos dissídios, inclusive cumprindo os reajustes do salário mínimo regional imposto pelo próprio governo do estado, acredito que exista sim um espaço de manobra pelos números que passei pois é necessário que o governo também possa dar a sua contribuição repondo pelo menos em parte a inflação do período pois todos nós sabemos que quando você vai em um mercado o valor dos produtos por exemplo, sobem mais do que essa inflação medida de 3 ou 4% ao ano, bem como se mantém o poder de compra de milhares de trabalhadores que servem o estado e isso faz a diferença no mercado pois faz roda da economia girar!  Mais consumo das famílias acaba gerando mais impostos repondo boa parte das receitas ao próprio governo.
Portanto, com dados técnicos e não ideológicos agora dá para você tirar algumas conclusões pois precisamos urgentemente de um ciclo virtuoso e não vicioso na economia onde infelizmente o cidadão cada vez mais pressionado ganha menos, consome menos, as empresas acabam demitindo mais, a arrecadação dos governos cai e assim vai.

Eu tenho certeza que com diálogo e respeito de ambas as partes, servidores e governo chegarão a um consenso para que todos os paranaenses não possam ser prejudicados com greves ou redução do atendimento dos serviços públicos e que trabalhadores públicos e privados possam ter seus direitos contemplados.
Vamos em frente!

 rep-salarial